6 Setembro, 2012 archive

O BLOG COLÔNIA NA MÍDIA TAMBÉM ACATOU A ORDEM DO JUIZ RÉGIO BEZERRA, EM DIVULGAR SUA SOLICITAÇÃO

Bem amigos e amigas, conforme vocês viram, é o Juiz Eleitoral de Una e Canavieiras, cumprindo seu papel e se preocupando com o uso a esmo dos funcionários públicos de nossa cidade nos eventos políticos, e na verdade todos sabemos a que candidato se refere.

Gostaria de frisar o seguinte parágrafo:
(…)Ademais, cumpre lembrar porque relevante, que o candidato beneficiado com a cessão ilegal de servidores públicos para sua campanha está sujeito à cassação do registro.(…)
Também gostaria de deixar, como também disse, o Juiz Régio, os links para eventuais denúncias, são eles:
No próprio Cartório Eleitoral e Promotoria de Justiça Eleitoral

FONTE : ATITUDE EM UNA

VEJA A SOLICITAÇÃO DO JUIZ ABAIXO:


CLICK NA FOTO



POLÍCIA CONFIRMA PRISÃO DE CASAL SUSPEITO DE MATAR PRIMO DE BRUNO

O delegado Alexandre Campbel confirmou, durante entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (4), que um casal está preso em Belo Horizonte por suspeita de matar Sérgio Rosa Sales, primo do goleiro Bruno Fernandes. Segundo o delegado, a mulher contou para o amante que Sales a teria ‘cantado’. 
Sérgio Sales era considerado testemunha-chave no processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio. Ele era um dos oito réus na ação, e foi morto no dia 22 de agosto, no bairro Minaslândia, na Região Norte de Belo Horizonte. Eliza, ex-namorada do goleiro, foi morta, segundo a polícia, em junho de 2010. O corpo dela nunca foi encontrado. 
Campbel contou que o casal se apresentou à Corregedoria de Polícia Civil nesta segunda-feira (3), após serem identificados pela polícia. De acordo com o delegado, a mulher, Denilza Cezário da Silva, de 30 anos, relatou que Sérgio “fez gracejos” para ela no dia 21 de agosto, próximo ao local onde o primo do goleiro Bruno morava. Ela contou o ocorrido para o amante, Alexandre Ângelo de Oliveira, de 28 anos. No dia seguinte, os dois foram, em uma moto, até as proximidades da casa da vítima. Denilza desceu do veículo e continuou o caminho sozinha. O amante a acompanhou de longe. Segundo o delegado, Sales repetiu os “gracejos” e, a partir deste momento, Oliveira se aproximou. Logo em seguida, ele deu os primeiros disparos contra Sales, que tentou fugir. Alexandre Ângelo de Oliveira o perseguiu, até que o primo de Bruno tentasse pular um muro, momento em que o amante efetuou os outros disparos. Segundo Campbel, o casal não conhecia o primo do goleiro Bruno e, tampouco, sabia do envolvimento dele com o caso Eliza Samudio.
Alexandre de Oliveira tem passagens pela polícia por tráfico de drogas. Denilza é casada, tem quatro filhos, é trabalhadora e não tinha passagem pela polícia. O caso entre eles teria começado há seis meses. Os dois vão responder por homicídio qualificado, segundo o delegado. A moto que foi usada no crime e os capacetes dos dois suspeitos foram apreendidos. A arma não foi encontrada pela polícia. Os dois cumprem prisão temporária. O delegado não informou para onde os detidos seriam encaminhados. Segundo ele, o local não poderia ser revelado para não prejudicar as investigações.
Nesta manhã, a assessoria da Polícia Civil havia descartado que o assassinato de Sérgio Rosa Sales esteja relacionado ao caso Eliza Samudio. O envolvimento de policiais na execução também está descartado, de acordo com a corporação. O assassinato passou a ser investigado pela Corregedoria da Polícia Civil, por causa de denúncias de que ele teria recebido ameaças de policiais. Segundo o corregedor-geral da corporação, Renato Patrício, não há dúvidas sobre a morte de Sales. “Mecânica, motivação e autoria estão comprovadas”, disse. Entretanto, o inquérito ainda não foi finalizado, pois ainda há diligências a serem feitas.

BIZARRO: PAIS ‘NUMERAM’ QUADRIGÊMEOS CHINESES COM CORTES DE CABELO. COITADOS

Quadrigêmeos chineses exibiram cortes de cabelo estilizados ao serem fotografados em Shenzhen, na província de Guangdong, na China.
Os meninos de seis anos de idade tiveram o cabelo cortado no formato de números.
Seus pais decidiram marcá-los com os números 1, 2, 3, 4 em suas cabeças para tornar mais fácil para os professores e colegas distingui-los.